Blogger Widgets

Resenha Os Pilares da Terra


Título: Os Pilares da Terra
Autor: Ken Follett
Editora: Rocco
Páginas: 944

Os Pilares da Terra é uma verdadeira saga com mais de 900 páginas. É de fato, um livro imenso que a primeira vista assusta, confesso, assusta também a segunda e até a terceira, tanto que eu só fui lê-lo uns quatro meses após ganha-lo. Contudo, a sua grandiosidade não se restringe ao tamanho, pois o conteúdo é excelente. Elogio vindo de uma pessoa que não gosta muito de ação e torce o nariz para filmes sangrentos. Devo admitir que embora o livro possua todas estas características ele me agradou muito.

O enredo se passa na Inglaterra medieval, época em que os reis tinham que assegurar de unhas e dentes as suas terras, portanto os condados tornavam-se indispensáveis. Em meio há uma sucessão de trono tumultuosa, onde Estevão ascende o poder, Tom, um pedreiro casado e pai de duas crianças, se vê em uma crise, sem trabalho, passa fome enquanto vaga por lugares ermos em busca de seu grande sonho – construir uma catedral – Neste cenário somos apresentados a Philip, Prior de Kingsbridge. Ele é um monge humilde, cujo maior desejo é construir uma catedral para Kingsbridge, no entanto não há dinheiro para tal empreitada e o pior o seu adversário bispo Waleran fará de tudo para frustrar os seus planos.

Paralelamente ocorre a história de Aliena, uma lady de grande beleza, que se recusa a casar com o cavalheiro Willian e sofre as consequências pelo resto de sua vida. Willian descobre que o Conde, pai de Aliena traiu o rei, portanto o denuncia e toma posse de seu título e terras. Mas não é o bastante ele ainda comete atos violentos contra Aliena, que se vê desamparada com seu irmão Richard. A sua sorte só começa a melhorar com a caridade de Philip.

Em relação ao Tom sua vida após a morte de sua mulher, começa a melhorar ele se torna o construtor da catedral de Kingsbridge, se tornando amigo do prior Philip. Tom se amasia com Ellen, uma jovem mãe de um garoto chamado Jack, cujo pai foi enforcado arbitrariamente.

A partir da história de Tom e de sua família, bem como de Philip e de Aliena, Ken Follet nos conduz ao mundo medieval com todas as suas facetas. Os personagens giram em torno da construção da Catedral de Kingbridge, que ao longo de anos guarda em cada pedra construída as memórias dessas pessoas que nunca serão esquecidas por nós leitores.

2 comentários:

  1. Oi Ana, super amei a resenha, apesar de não ser a minha cara ler esse tipo de livro.

    Beijos, @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. OI ANA , parabéns pela sua resenha eu estava sem coragem de encarar uma obra deste porte mas através desta resenha você me deu uma grande injeção de animo.

    ResponderExcluir